Buscar

Sabia que 1 em cada 10 mulheres sofre de Endometriose?

Estima-se que 1 em cada 10 mulheres sofre actualmente de endometriose e normalmente afeta a mulher durante a sua idade reprodutiva.


A endometriose é uma doença crónica em que as células do endométrio se implantam fora do útero, ou seja, noutras zonas do organismo provocando um desequilíbrio nas estruturas corporais, destruindo a fisiologia e aumentando os níveis inflamatórios do nosso organismo.


Todos os meses durante o período menstrual as células do endométrio são estimuladas pelas hormonas do ciclo menstrual -progesterona, estrogénio e luteinizante. O endométrio começa por ser descamado na altura da menstruação e gradualmente reposto, aumentando a sua espessura e número de células para que, se não houver fecundação, seja de novo expelido na próxima menstruação.


As células endometriais, que estão espalhadas pelo organismo, recebem exactamente a mesma estimulação hormonal mas não podem ser expelidas. Crescem mas não não são expelidas, o que agrava a dor física e cria o caos dentro do organismo com fibroses e aderências nos tecidos.


Não há uma relação directa entre a quantidade de implantes no corpo e a severidade da dor.


A endometriose pode ser dividida em: superficial, ovárica e profunda.


Através de uma ressonância magnética é possível identificar a endometriose

ovárica e a endometriose profunda. A endometriose superficial é um pouco mais complicada de observar, mas clinicamente é possível diagnosticar.


E a Adenomiose?


A Adenomiose uterina encontra-se muitas vezes em sobreposição com a endometriose. Neste caso são as mesmas células endometriais que saem do lugar mas em vez de estarem pelo corpo estão apenas dentro do músculo uterino.


As mulheres que sofrem de endometriose podem ou não sentir dor na ovulação, na menstruação, durante ou depois de relações sexuais, a fazer xixi ou a defecar e também no peito, nas virilhas, na vagina, no recto, nas pernas e nas costas.


Sintomas como exaustão, falta de concentração, obstipação, insónia, barriga inchada e irritabilidade são muito frequentes, o que tornam a sua TPM mais violenta.


O que pode ajudar?

Acupuntura, Electroacupuntura, Exercício fisico, Dieta Anti-inflamatória, Desbloqueio e Fortalecimento do Pavimento pélvico, Regulação de sono,

Apoio psicológico;


O que podemos fazer para prevenir e diagnosticar?

Na Clínica Tâmara Castelo realizamos vários testes que o podem ajudar a prevenir, a diagnosticar e até mesmo controlar esta doença:

-Testagem hormonal profunda;

-Testagem das intolerância alimentares;

-Avaliação GI map da função intestinal;


Lembre-se que todos os organismos são diferentes, por isso a melhor solução será sempre marcar uma consulta para garantir um acompanhamento especializado e adequado.

Na Clínica Tâmara Castelo, esperamos por si.

#oconsultoriodatamara


Posts recentes

Ver tudo